Blog Pormade
Pesquisar
Close this search box.

Psicologia das cores na arquitetura: como utilizar?

A psicologia das cores é um estudo que tem em vista entender como reagimos em relação às cores. Esse tema, nos últimos anos, ganhou muito destaque pela importância em diversas áreas, como profissionais do marketing, arquitetos, designers, entre outros.

E mesmo recebendo grande destaque e importância, poucos profissionais conhecem realmente os benefícios de utilizar essas estratégias em projetos, principalmente os arquitetônicos.

Neste conteúdo, conversaremos sobre o que é a psicologia das cores, dicas e também sobre como utilizar essa estratégia na arquitetura.

Vamos lá, aproveite!

O que é a psicologia das cores?

A psicologia das cores é o estudo do impacto que as cores têm na percepção, emoções e comportamento humanos. As cores são percebidas pelo cérebro de forma subjetiva, e podem evocar diferentes sensações e sentimentos em diferentes pessoas.

 

A psicologia das cores no comportamento humano

 

Se considerarmos que as cores foram inventadas, aproximadamente, há 40.000 mil anos, o estudo das cores foi iniciado somente no século IV a.C. por Aristóteles. Algum tempo depois, uma pessoa descobriu que quando um feixe de luz atravessa um prisma, ele gerava outras cores, Isaac Newton, o famoso. A partir desse evento que o estudo das cores ganhou destaque.

Essa estratégia muda o comportamento humano?

Então, de certa forma, sim.

Por que “de certa forma”?

As cores podem influenciar o comportamento humano, mas não é uma ciência exata. É impossível afirmar que o amarelo, vermelho ou laranja, em uma parede, deixarão o espaço mais alegre ou interessante, por exemplo.

Os efeitos das cores no comportamento humano são subjetivos e podem variar de pessoa para pessoa. No entanto, estudos mostram que as cores podem ter um impacto significativo no nosso comportamento, mesmo que não o percebamos conscientemente.

 

Psicologia das cores na arquitetura, considerando cores quentes

 

A psicologia das cores é um campo de estudo fascinante que pode ser usado para influenciar o comportamento humano de várias maneiras. E os arquitetos usam a psicologia das cores para criar produtos e ambientes que sejam mais atraentes e eficazes. 

Afinal, como utilizar a psicologia das cores na arquitetura?

É importante lembrarmos do que já conversamos acima. Não é uma ciência exata, mas essa estratégia pode ser usada na arquitetura para criar ambientes que sejam mais agradáveis, confortáveis e funcionais.

Ao entender os efeitos das cores no comportamento humano, os arquitetos podem usar as cores para influenciar o humor, a produtividade e a percepção dos usuários de um espaço.

Mas, afinal, vamos conhecer agora algumas dicas, na prática, da psicologia das cores na arquitetura?

Propósito do espaço: as cores que você escolher devem ser apropriadas para o propósito do espaço. Por exemplo, você pode usar cores mais vibrantes em ambientes sociais, como restaurantes ou lojas, e cores mais suaves em ambientes de trabalho ou de descanso.

Público-alvo: as cores que você escolher devem ser atraentes para o público-alvo do espaço. O público jovem pode se sentir melhor em um ambiente com cores quentes, por exemplo.

Use cores complementares: as cores complementares são aquelas que ficam opostas umas às outras. Elas criam um contraste visual que pode ser usado para chamar a atenção ou criar um senso de energia.

Use cores análogas: as cores análogas são aquelas que estão próximas umas às outras no círculo cromático. Elas criam uma sensação de harmonia e equilíbrio.

Use cores neutras: as cores neutras, como branco, preto e cinza, podem ser usadas para criar um fundo neutro para as cores mais vibrantes.

Dicas de cores para estimular sensações

A psicologia das cores é uma ferramenta poderosa que pode ser usada para criar ambientes que sejam mais agradáveis e funcionais. Ao entender os efeitos das cores no comportamento humano, os arquitetos podem usar as cores para criar espaços que sejam mais atraentes, confortáveis e produtivos.

Para criar um ambiente estimulante e energizante, use cores quentes, como vermelho, laranja e amarelo. E utilizando cores frias, como azul, verde, roxo, você pode criar um ambiente mais calmo e relaxante. Além disso, gosta de criatividade ou visa inspirar as pessoas com o seu projeto? Utilize cores vivas, como amarelo, por exemplo.

 

Psicologia e as cores quentes

 

E você se lembra do preto? Sempre passando uma sensação de elegância? Além dele, outras cores neutras podem ser utilizadas para criar um espaço que remete ao luxo. O cinza é uma delas, por exemplo.

A psicologia das cores é uma ferramenta essencial!

Outro detalhe que é importante mencionar é que essa estratégia não precisa ser necessariamente utilizada somente por arquitetos.
Qualquer pessoa pode utilizar em uma redecoração de espaço, e até em almofadas no sofá, por exemplo.

Não deixe de experimentar as cores e sensações que elas proporcionam.

Ficou com dúvidas ou precisa de ajuda? Clique aqui.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!